MÁRCIA PANTERA

O ensaio autoral da drag queen Márcia Pantera retrata o poder de reinvenção que existe em todos nós. O homem por trás da peruca e da maquiagem pesada já foi atleta, artista e, por 10 anos, usuário de drogas. Foi internado diversas vezes e quase morreu. Mas ressurgiu como a drag acrobata que há quase 30 anos se apresenta em boates gays de São Paulo.

 

Acompanhei a Márcia nos bastidores de um show em 2010, um dos primeiros de sua volta aos palcos. Enquanto as outras drags entravam e saiam do camarim, ela permanecia focada na montagem do seu personagem. Falava baixo, sem deixar de ser simpática com todos, e cuidava de cada detalhe, cada brilho.

 

Vejo muita força e bagagem de vida no ensaio da Márcia Pantera e compartilho meu olhar de respeito absoluto por ela. Sua história mostra que sempre existe tempo para se reinventar e ser uma versão melhor de si mesmo.